Voltando Devagarinho

Blogar é uma atividade que requer zelo, paciência, compromisso e responsabilidade.

Zelo consigo próprio e com o interagente. Zelo com as palavras.

O exercício da paciência surge no debate: a discussão precisa ser essencialmente sobre ideias e sobre a obra ou a representatividade. Todo ataque ad hominem é uma demonstração de falta de argumentos. Isso eu pretendo evitar.

O compromisso de treinar a escrita traz consigo o intuito de aperfeiçoar o vocabulário. Essa etapa exige sensibilidade e perspicácia: é o cuidado para não ser coloquial quando a erudição for relevante na comunicação e de evitar ser erudito ao discutir sobre questões simples, que precisem ser compreendidas por muita gente.

Responsabilidade: com o assunto, com quem levantou a lebre e com o interagente.

Sobre promessas: a única promessa possível é a de procurar evitar o erro. E, quando errar (porque já aconteceu e vai acontecer de novo), ser rápido, preciso e humilde na correção. Pedir desculpas com sinceridade, fazendo o possível para não prejudicar ninguém.

A partir daí, toda composição audiovisual precisa ser minimamente roteirizada, mas sem perder a sua espontaneidade: por que falar sobre tal assunto; a quem recorrer; onde se aprofundar; qual o tom e o viés da crítica. Links, fotos, áudio, vídeo, referenciar a produção de terceiros. Nada disso pode ser negligenciado.

Quando surge um assunto, é preciso investir nele com carinho e com uma boa dose de obsessão. Afinal de contas, para conhecer mais é preciso ser curioso. Demonstrar empolgação sem afetação é uma forma de justificar a escolha por um determinado tema sem precisar explicar por que.

A partir desse ponto, o conteúdo mediado pelo nosso olhar se torna um investimento: afinal de contas,uma opinião representa atribuir (ou destituir) valor a algum produto, a alguma dinâmica social, a algum conceito, a alguma prática.

Esse investimento se faz sobre uma base que precisa ser consistente. Porque opinar sem base alguma e sem buscar especialistas realmente competentes retira a credibilidade.

Embora não haja uma receita de bolo, dizem que o bom blog é especializado. Se for assim, vou continuar sendo um ponto fora da curva, pois não vejo sentido em ser monotemático.

O teatro me ensinou a ter sensibilidade e a procurar ser verossímil ao interpretar alguém que eu não sou sem falsidade.

A docência me ensinou a ser eu mesmo na mediação de conteúdo. Isso exige organização em meio ao caos e desorganizar uma ordem que não engrandece.

A pesquisa tem me ensinado a ser muito mais rigoroso, muito mais crítico e cada vez mais detalhista.

Como a minha vivência universitária influencia totalmente o meu estilo de vida, uma coisa que sempre evito na docência é fazer de conta que eu sei de tudo. Poucas coisas me entristecem mais do que enganar o aluno: se eu não tiver resposta, vou procurar quem possa lhe ajudar.

Na arguição das bancas de TCC, gosto muito de trazer novos autores, novos caminhos. Isso não invalida o esforço de pesquisa, mas procuro oferecer um incentivo à curiosidade para que ela plante uma semente rumo à pós-graduação.

E eu ajudo mesmo: não tenho medo de colega que esconde o jogo. Aliás, gostaria muito de saber o que faz um professor temer que sua ideia seja "roubada" se vivemos em um ambiente que deveria primar pela solidariedade.

Agora, eu preciso me tornar um pensador. Isso é exigido de mim nesse longo rito de passagem rumo à cidadania da República das Letras.

Basicamente, vou falar sobre futebol e outros esportes, cultura de fã, música, seriados, filmes, Educação, política e dicas de bibliografia.

Quem quiser percorrer os posts anteriores, terá uma amostra. Contudo, espero poder oferecer algo melhor. Por melhor entenda-se mais organizado e mais imagético, pra quebrar o gelo dos textões.

Portanto, preparem-se: às vezes, pode ser que haja até mais de um post no mesmo dia. Mas também pode acontecer de passar dois ou três dias sem postar.

Acho que a conversa pode render bastante complementando posts e comentários com o Twitter @heliopaz , com o Facebook e com o Instagram. Vai rolar também um canal no You Tube.

Essa volta pediu um textão. Daqui pra frente, uma vez que as honras da casa tenham sido feitas, vou trazer também áudio, vídeo, fotos e links para outras referências.

Mas que fique claro: minha casa, minhas regras. Mas nada impede que vocês conquistem o direito de abrir a geladeira, abrir uma cerveja e por os pés na mesa.

Quero dizer com isso que todo mundo tem lado pra tudo. E que dá pra compartilhar muita coisa, com o devido respeito, mas sem um distanciamento intimidador.

Tenho que acordar daqui a quatro horas.

Até mais! 🤗

Anúncios

Publicado por heliopaz

@heliopaz | cultura de fã de futebol online/offline | Educação = cultura + ato político

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: