GRÊMIO: BALANÇO 2008

5 comentários sobre “GRÊMIO: BALANÇO 2008”

  1. Guga,

    Eu considero análises passionais e contra-producentes quando, mesmo sabendo que o técnico não será trocado, a torcida o vaie quando o alto-falante anuncia o nome dele. E que esqueçam rapidamente o exagero de lesões e suspensões do 2º turno, além da enorme diferença entre os titulares e os reservas.

    Aí, quando se monta um grupo muito desparelho e sem titulares nem reservas em posições-chave, duvido que um consagrado e controvertido treinador de clube pequeno em situação média como Hélio dos Anjos ou como o melhor técnico do mundo na atualidade, Felipão, dêem conta disso.

    Eu não ganho um centavo e sequer conheço pessoalmente o Celso Roth. Mas considero ele um cara sério e estudioso. Ele tem lá os seus ranços, mas de um detalhe importante ninguém se deu conta: os auxiliares técnicos do Roth são bem melhores do que os do Mano. Se o cara trabalha em equipe e essa equipe pode ser melhor do que ele, não seria nenhum absurdo trocar de técnico e o novo errar mais do que o Roth porque tem auxiliares menos competentes como observadores táticos ou estatísticos.

    A convicção do Roth existe. Do contrário, seja para o bem, seja para o mal, a maioria das pessoas que sentam ali perto do bar antigo atrás da goleira da Carlos Barbosa não acertariam pelo menos 80% das substituições dele.

    Como eu disse, o contra-ataque é virtude de laterais velozes e bons cruzadores e de volantes firmes que levam poucos cartões e sabem dar pelo menos o primeiro passe com qualidade. Pega todos os laterais do Grêmio: desde o Gauchão, senti que nenhum deles seria o suficiente. E o incensado Felipe Mattione teve várias chances.

    Desde o Mancini, que agradou por ser corajoso, ofensivista e por ter peitado o Pelaipe, era só observar: mesmo invicto, o Grêmio levava horrores de bolas nas costas. E não era do São Paulo: era do Sapucaiense, do Novo Hamburgo, do Santa Cruz.

    Sem o Rafael Carioca (bom) e o Willian Magrão (limitado), fora alguns rompantes do Makelele quando entrava no 2º tempo pra prender e roubar a bola, o que é que o Mancini e o Roth poderiam tirar de leite do Amaral, do Rudinei e de outros menos votados?

    Na falta de um meia de ligação capaz de acelerar o jogo, tu não tem posse de bola nem domínio territorial sobre ninguém.

    Aí, começaram as lesões, as suspensões e o estado anímico de um plantel cheio de guris verdes e mais alguns veteranos de times médios com poucas conquistas degringolou.

    Com isso, o técnico tenta, tenta, tenta e, quando parece que a coisa vai engrenar novamente, o receio e a falta de confiança se tornam mais fortes do que a chance que o boleiro tá recebendo no time.

    Eu até achei que o Grêmio segurou demais essa boa posição e que poderia estar morto na briga por uma vaga à Libertadores desde um mês atrás.

    Anos atrás, eu dizia que queria ver o Grêmio com uma filosofia de grupo diferente da velha mística da “imortalidade”. Sem nenhuma frescura e sem gastar o que não tem, mas definindo algumas diretrizes, independentemente de quem seja o presidente, o diretor de futebol ou o técnico.

    Por exemplo: pode haver ruindade, mas nunca sem velocidade nas laterais e sem uma certa eficiência dos atacantes. Pode até vir alguém do interior de SP, do RS ou do NE, se for o caso. O importante é ter coragem de arriscar.

    O resto sempre se ajeita, pois o futebol está muito parelho – nivelado por baixo.

    Eu espero um 2009 melhor. Por um lado, Deus escreveu certo por linhas tortas. Primeiro, porque resgatou a comunhão da torcida com o time, perdida no 1º quadrimestre; segundo, porque não nos deu um título com um plantel extremamente desequilibrado – o que faria com que todos se enganassem em relação à expectativa futura.

    DÁ-LHE!!! :D

    []’s,
    Hélio

  2. “Só há duas formas de sabermos se ele é o que a maioria dos gremistas precipitados, passionais e impacientes pensa que é ou se ele é o que eu penso que é(…)”

    Quer dizer que se eu disser que o Roth é o responsável pelo nosso insucesso eu serei precipitado, passional e impaciente? Hmmm, interessante…

    Assisti a 99% dos jogos do Tricolor este ano. 100% no Olímpico e ainda no Jaconi. Percebi um treinador que não tem convicção, sem concepção de futebol formada, bom pra arrumar a casa, mas péssimo pra continuar trabalhando, porque daí passam a surgir com muita força os seus vícios, as suas rusgas no vestiário.

    Percebi um treinador que não mexe no time quando embesta com alguma crítica, que transforma jogadores em titulares e que, poucos jogos depois, os relega inclusive da concentração. Um treinador que inventou posicionamentos absurdos para jogadores que não tinham a menor condição de sequer jogar em seu local de origem. E isso nos custou classificações – quer dizer, as suas decisões, não a qualidade do plantel.

    E o mais impressionante, no meu ponto-de-vista, é que Roth se tornou um treinador que tem a marca de fazer o time voltar sempre pior no segundo tempo. Meu pai me dizia ontem: “Agora é ir pra cima, estamos melhor que o Vitória, e o São Paulo pode até vencer se continuarmos assim…”. Ao que eu respondi: “Calma, não esquece que sempre voltamos pior no segundo tempo”. Infelizmente.

    Mas o Roth tem méritos?
    Claro que tem! Principalmente na primeira metade do Brasileirão. Mas, para mim, há mais deméritos. Perder uma diferença de 12 pontos e ficar 5 atrás (ou seja, 17 pontos!) é uma péssima marca e demonstra desequilíbrio no padrão de jogo do time (bem aquilo que se tem visto dentro de campo neste segundo turno).

    Ainda assim, acho que o ano é positivo para o Grêmio. Fechamos uma bela base para 2009, a começar pelo excepcional Victor, este sim o grande responsável pelo nosso até o momento vice-campeonato. Não fosse ele, teríamos bailado em casa para o Ipatinga, Vitória, Portuguesa e interzinho.

    Aí, então, resta outra pergunta, fosse outro o goleiro, tendo, então, esses resultados positivos se tornado negativos e a nossa realidade sendo mais condizente com a do 10º colocado, será que o blogueiro defenderia tão arduamente o treinador? Será que chamaria aqueles contrários de passionais, desprovidos de razão?

    Cuidado, amigo Hélio. Generalizar dessa forma sobre aqueles que são contrários à opinião do interlocutor é coisa de gente de direita.

    Abração e seguimos.
    2009 está aí.
    JAMAIS NOS MATARÃO!

  3. Isso ai’ Helio. Sem terra arrasada. Brigamos pelo titulo ate’ duas rodadas antes do final, com um plantel mediocre.

    A exemplo da Libertadores de 2007, o Gremio foi longe demais, com uma torcida apaixonada e apaixonante.

    Vamos pensar positivo, esperar o melhor da direcao nas contratacoes para a proxima temporada. Celso Roth tem que ficar! A maioria das pessoas confunde simpatia e carisma com competencia. Ele e’ um dos treinadores mais competentes do Brasil (melhor inclusive que o queridinho do Corinthians, Mano Menezes).

    Acho que se o historico do Gremio este ano pode ter dado algumas licoes, estas sao:

    – Unanimidades sao burras. Torcedor gremista: questione o senso comum. Nao detone um Celso Roth so’ porque as pessoas dizem que ele e’ ruim. Va’ atras, tire suas proprias conclusoes, seja justo.

    – “Critica especializada”: este foi o ano em que mais se viu profetas do acontecido em acao. Principalmente os comentaristas do grupo RBS.

    Bom, era isso, vamos esperar o melhor para o proximo ano. E vai rolar coisa boa sim! Rumo ‘a vaga para a Libertadores, e depois, rumo ao TRI!

  4. André,

    No TVCão Esportes, programa que raramente assisto porque prefiro a ESPN Brasil quase sempre e o SporTV de vez em quando, o David Coimbra, a quem considero um cara muito inteligente e observador além de parecer pender mais para o lado tricolor, também acha que o Grêmio não investiu em qualidade. E que, quando se tem qualidade, o detalhe que faz com que a bola não entre quando se tem atacantes fracos seria od etalhe que faria a bola entrar na maioria das vezes.

    Quanto ao Souza, acho que tu podes ter razão, sim. Afinal de contas, ele estava quase encostado no PSG, um time horroroso.

    Vamos torcer! ;)

    Bom trabalho pra ti!

    []’s,
    Hélio

  5. Valeu pela força Hélio, realmente Direito Marítimo é uma corrente em crescimento, especialmente em cidades portuárias, como Rio Grande, que por sinal, cresce assustadoramente, quem nasceu aqui como eu, é surpreendido dia após dia, e isto acarreta boas conseqüências e outras nem tão boas assim.
    Falando de futebol, concordo com quase tudo que você falou, só acho que o Souza, fazendo uma pré-temporada junto com o grupo, e readaptado a posição de ala, daria uma boa resposta, se não me engano, ele foi eleito o melhor da posição no Brasileirão de 2006, tenho a convicção que o Grêmio não teria condições de contratar ninguém melhor que ele., acho queo tricolor deve gastar os poucos recursos num lateral esquerdo e em atacantes, dois ou três, para fazerem parte do elenco junto ao Reinaldo. Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s