A COMUNICAÇÃO RESISTENTE

2 comentários sobre “A COMUNICAÇÃO RESISTENTE”

  1. Rodrigo,

    Uma forma de resistência não anula a outra. Contudo, falta à esquerda reconhecer estrategicamente quais formas de resistência são mais adequadas aos procedimentos técnicos e discursivos do poder hegemônico.

    Por exemplo: o aviso por e-mail e através dos blogs sobre passeatas e concentrações é dar a cara a tapa gratuitamente. Mesmo que a polícia do Mendes e o MP ajam inconstitucionalmente, como a rua é um espaço de fluxo e o verdadeiro debate político para os leigos rola através do conteúdo midiático, a classe média contemporânea jamais irá simpatizar massivamente com uma causa que interrompe o seu fluxo habitual.

    []’s,
    Hélio

  2. Hélio, ontem acabei tendo mais uma frustração: certo de que a manifestação seria à tarde, fui para a praça às duas e pouco, e não tinha mais ninguém. Foi de manhã…
    Mas certamente haverá outras. E é fundamental fazermos justamente a “reunião virtual em rede”, uma das maneiras mais eficazes de resistência. Afinal, na internet ainda não há nenhum Coronel Mendes para nos impedir.

    Abraços
    Rodrigo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s