BIOINSEGURANÇA E SUBDESENVOLVIMENTO INSUSTENTÁVEL

Começo este post indicando a leitura do CRISTÓVÃO FEIL no DIÁRIO GAUCHE sobre o ESTILINGÃO.

Convido-os também a visitarem o APOCALIPSE MOTORIZADO e a observarem o que o LUDDITA postou sobre o mesmo tema.

Depois, voltem aqui no PALANQUE DO BLACKÃO e sigam o meu raciocínio.

Daria para construir 35 Km de ciclovias em São Paulo com o dinheiro que se gastou para construir-se 1,8 Km de ponte que liga os nababos aos ostentosos. O governo deveria, isso, sim, subsidiar ainda mais o óleo diesel, que é combustível de transporte coletivo, além de investir no aeromóvel e em metrôs.

O excesso de automóveis tornou Porto Alegre a segunda capital mais poluída do país. O uso de ruas priviloegiando o fluxo de veículos em detrimento do fluxo de bicicletas, coletivos e pedestres torna o espaço público um espaço egoísta e frio, que transforma a paisagem da cidade para pior, eliminando árvores, tornando o verão senegalesco e o inverno polar.

Com menos pessoas circulando nas ruas e considerando os carros como se fossem casulos, a criminalidade aumenta porque poucas pessoas andando na rua são mais vulneráveis do que uma multidão.

O Rio de Janeiro, com bares e mesas nas calçadas da zona sul, é muito mais atraente, simpático e, acima de tudo, representa um verdadeiro espaço de convivência.

Porto Alegre está horrorosa pra se viver. Um carro ocupa o espaço de oito bicicletas.

A diminuição no fluxo de veículos movidos a energia fóssil de apenas 20% da frota nos EUA não prejudicaria em nada a mobilidade urbana e, de quebra, seria responsável pela redução anual de mais de 600 MILHÕES DE TONELADAS DE CO2 na atmosfera.

Pior: o governo brasileiro ainda aposta em soluções como o latifúndio, a indústria de alimentos artificiais e biocombustíveis, a um altíssimo custo social, ambiental e econômico.

Uma utilização massiva de bicicletas no trânsito, de energia eólica, solar e utilizando hidrogênio como combustível transformaria a sociedade como um todo (áreas ricas e pobres, grandes e pequenas cidades) de maneira mais solidária.

Quando eu digo que o Governo Lula é um governo trabalhista de centro e que a direita não pensa de maneira alguma em uma sociedade mais justa não estou de brincadeira.

E, a bem da verdade, uma das economias que mais crescem no planeta, cuja abertura ao capitalismo é elogiadíssima por quase todos é, ao mesmo tempo, uma abertura à depredação irreversível do meio ambiente, com conseqüências severas para o mundo inteiro. A China é um gigante repleto de formigas prontas para devastarem o que vier pela frente, às custas de um regime escravo perpetrado pela esmagadora maioria das multinacionais lá estabelecidas, com o aval de um governo que não está nem aí.

A lógica é a mesma de Lula: o socialismo repressivo da China (comunismo nunca foi, assim como há muitas formas não-exploradas de se estabelecer um regime socialista sem repressão, ao passo que todo capitalismo é repressivo e excludente) considerava como sinônimo de desenvolvimento a industrialização massiva (mesmo que isso não significasse necessariamente inclusão social), pois o que importa é apenas fazer caixa para justificar as receitas em impostos e o seu repasse para o investimento no social.

Como se vê, o privilégio da burguesia, o privilégio do proletariado e a supervalorização da classe média urbana como massa “crítica” são fatores de manutenção do status quo e de luta entre polaridades extremas que são tão limitadas quanto dicotômicas.

Commodities não dão dinheiro – a não ser para os empresários mal-intencionados que vivem delas. A valoração e a mensuração de qualquer patrimônio natural em termos financeiros é um enorme equívoco, pois incentiva o falso desenvolvimento da metade acéfala e/ou oportunista da falsa esquerda, que é irmã gêmea da extrema direita.

Isso também tem tudo a ver com o lixo de governo que o RS tem agora (o pior de todos os tempos para todos aqueles setores da sociedade que não fazem parte da FIERGS, da FARSUL e da FEDERASUL), muito bem apresentado e criticado pelo MARCO AURÉLIO WEISSHEIMER no RS URGENTE e pelo MARCELO DA SILVA DUARTE em LA VIEJA BRUJA.

Anúncios
Sobre

Prof. M.S. @heliopaz | @unisinos | @comdig | @agexcom | @jetunisinos | @cultdigitalunis | @gremiosempre | http://bitly.com/tNhPU3

Marcado com: , , , , , , , , , , , , , ,
Publicado em ATIVISTAS
13 comentários em “BIOINSEGURANÇA E SUBDESENVOLVIMENTO INSUSTENTÁVEL
  1. ailton filho disse:

    Hélio,
    Cara, vou tentar. Abraço

  2. AILTON,

    Procura nos links à esquerda pelo DIPLO BRASIL, pela revista FÓRUM e pelo site RESISTIR.INFO e manda um e-mail oferecendo tuas idéias. Depois da resposta, envia um texto segundo os padrões desses veículos e boa sorte! ;)

    []’s,
    Hélio

  3. ailton filho disse:

    Hélio,
    Nunca pensei na possibilidade. Apenas costumo fazer alguns comenários no Azenha, no Cidadania e em mais dois ou três blogs por ai. Por mais irônico que possa parecer trabalho numa agência de propaganda e esse trabalho escroto (mas, que me ajudou e muito a ver o lado de trás das cortinas) toma muito do meu tempo, apesar de eu nem querer tanta coisa assim. Mas, gosto da sua idéia e se puderes me dar umas dicas sobre como eu poderia proceder para dar cabo da idéia, eu agradeço. Tem muita coisa que deve ser revista dentro desse sistema zumbi antes que a gente possa comemorar qualquer avanço social.
    Saudações,
    Ailton.

  4. […] do Governo Lula (temas recorrentes em diversos blogs), retomo, principalmente em função dos comentários do MAIA, do MIGUEL GRAZZIOTIN e do AILTON FILHO um documentário extremamente elucidativo sobre a […]

  5. AILTON,

    Cara, teu comentário foi excelente! Não pensas em desenvolver mais esse raciocínio com dados e com uma série maior de exemplos interconectados entre si? Rende um belo artigo para uma revista como a LE MONDE DIPLOMATIQUE BRASIL, por exemplo!

    []’s,
    Hélio

  6. ailton filho disse:

    Esse pessoal ainda acredita que o planeta é algo que está dissociado de suas vidas. Santa ignorância.

  7. ailton filho disse:

    É meu caro, capitalismo SA, trazendo tantas maravilhas que a gente só vê na televisão e fica querendo e querendo e querendo. E trabalhamos e trabalhamos e trabalhamos. A grande mídia joga do lado de lá, veja só o exemplo: “Se o papel da ministra era compatibilizar crescimento e meio ambiente, ela fracassou porque tomou o partido do meio ambiente que atrasa e/ou bloqueia a atividade econômica.” Esse é o pensamento do economista de plantão da Globo. Tá no blog dele. O dinheiro vem antes. E o resto? Que resto? Produzimos muita coisa inútil, embalamos, propagandeamos e vendemos. $$$. Continuamos escravos do sistema. Não moramos mais em senzalas, mas em caixotes com vários cômodos. O tronco, onde somos “açoitados”, agora é a TV. Não nos inflinge mais dor, aquela sentida, pelo contrário, parece irradiar prazer, porém, ela apenas acorrenta ao tronco. Enquanto isso, os barões ainda comem caviar. Fazemos a roda do mundo girar, gastando nossas horas diárias de vida, pra que apenas alguns pouquíssimos seletos possam se esbaldar.

  8. MIGUEL,

    Obrigado pelo elogio, mas eu simplesmente exponho minha visão a partir da maneira como enxergo o mundo. Muitas vezes, posso estar redondamente enganado. Posso até ser maniqueísta e preconceituoso em alguns momentos. Porém, te garanto que não há como acreditar em uma determinada forma de desenvolvimento e ser meramente contemplativo ou imparcial. ;)

    []’s,
    Hélio

  9. Miguel Grazziotin disse:

    Caro Hélio,
    Brilhante exposição.
    Quanto a este Maia, que contamina os sites de equerda, nem perca tempo dialogando. Alguem que acha estes governo Yeda o mehor que já existiu só tem uma,e óbvia, explicaçao, ganha para dizer isto. A truculencia da policia com os movimentos sociais, a entrega do bioma gaucho as papeleiras, os roubos do DETRAN e Banrisul, só podem ser defendidos por ladroes do mesmo naipe.
    Continue com seus artigos centrados e deixe os lacaios do poder irem latir para os seus donos

  10. MAIA,

    Sobre o Olívio, qualquer pessoa em sã consciência sabe muito bem que uma polícia respeitosa e presente, apesar das limitações, é vista sempre com respeito pela população e dá prazer ao servidor em encarar o seu trabalho de risco sabendo que existe respaldo por trás.

    Não houve fraude nem escândalo de grande monta entre 1998 e 2002 no RS. Foi lá que o Banrisul começou a dar lucro. Foi Arno Agustin o responsável pelo lucro e pelo saneamento das finanças do Banrisul. Foi o último governo no qual ainda se respeitou o magistério, a polícia e ainda se investiu alguma coisa em termos de moradias populares e financiamento DECENTE ao pequeno agricultor.

    Agora, o quarteto que deveria ser julgado em Haia por crime contra a humanidade (Tarso pela indicação da Mallmann, Yeda por lavar as mãos e assinar em tudo o que o cel. Mendes faz, Mallmann por ser o chefe direto que endossa os desmandos de Mendes e, por fim, este último, por ser um exemplo de autoritarismo, revanchismo, ignorância e estupidez, desonrando a história secular da Brigada Militar) está incentivando o assassinato de policiais porque a ordem não é abordar com respeito: é agredir, humilhar e atirar primeiro para perguntar depois.

    A Europa e os EUA não querem saber das papeleiras. A Europa não quer saber de chaminés. A Europa não quer saber de transgênicos. Quem mais torra combustível fóssil e aço no mundo são os EUA. A Suécia recicla tudo o que pode. A Dinamarca cobra 600% de IPVA para quem quiser circular com seu veículo no centro de Copenhagen. A República Tcheca, a Austrália e vários outros países não aceitam mais importar sapatos de couro natural. Espanha e Dinamarca estão repletas de cataventos gigantes.

    Quais são as culturas e as economias atrasadas? A nossa ou a deles?

    []’s,
    Hélio

  11. MAIA,

    Que bom que a classe média está crescendo. No entanto, não existe preocupação suficiente com o desenvolvimento SUSTENTÁVEL, que é a única modalidade possível para a SOBREVIVÊNCIA do planeta.

    Eu prefiro a evolução consciente do sujeito em relação ao mundo que o cerca e ao seu papel social associada ao consumo consciente do que a dependência de um modo de produção voltado ao desperdício e à exclusão em benefício de poucos.

    O benefício deve ser para todos.

    Mas só quando a Terra estiver pela bola 8 que talvez a mídia corporativa (que vive basicamente do financiamento de quem depreda a natureza) e os políticos (de todos os partidos) passem a se preocupar em fazer a população correr atrás de um prejuízo quase irreversível.

    []’s,
    Hélio

  12. Carlos Maia disse:

    Não acho o governo Yeda o pior de todos os tempos. É um governo que tem problemas que se enredou na vergonhosa operação Detran que tem sim que ser bem averiguada, inclusive a casa da governadora, mas o governo em si está na direção correta de gestão. O trabalho de Aod Cunha, Fernando Schuller e Osmar Terra é muito bom e o governo Yeda é o que mais está fazendo para contornar o grave problema financeiro do Estado. O pior governo da história do RS é aquele que o partido do governador impediu a sua reeleição e que sempre apareceu como um dos mais rejeitados do Brasil nas pesquisas de opinião pública da época. Ah, mas vão dizer, a mídia construiu isso. Negativo, se o governo tivesse sido bom ele teria sido reeleito. Não foi e o partido se encarregou de tira-lo do páreo.

  13. Carlos Maia disse:

    Basta o Brasil copiar a Europa. É só copiar e colar. Os europeus circulam ‘alegremente’ por suas cidades, pelo menos por enquanto. O centro da cidade européia é o shopping da cidade brasileira. Os transportes coletivos são limpos e seguros. A classe média européia anda de ônibus, de metrô e de trêm e frequenta o centro. Aqui no Brasil a classe média frequenta o centro, mas não gosta, ela prefere ir ao seguro shopping, onde as melhores lojas estão e andam de carro, afunilando as ruas. . E nossa classe média aumenta todo o dia. A classe C é a nova classe dominante brasileira e por isso ( e que bom que isso ocorre) a situação de nossas ruas vai piorar e muito. O que o Brasil precisa fazer? Acaber de vez com essa visão de que o único meio de transporte é o carro ou o caminhão. O Brasil precisa urgentemente investir em transporte ferroviário. Que venham os trêns, os trêns bala, os metrôs (Está na hora de Porto Alegre começar a construir os seus nos labirintos da cidade) e os bondes que o Brizola tirou de POrto Alegre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

page views
  • 309,065 (d. 12/05/2006)
Free hit counter estatísticas heliopaz.wordpress
comentários
Suzimary em PIRÂMIDE DO CAPITALISMO (…
Ivo Antônio Barra em E-MAILS DOS MINISTROS DO …
maison pereira lima em E-MAILS DOS MINISTROS DO …
Francisco Reginaldo… em E-MAILS DOS MINISTROS DO …
Francisco Reginaldo… em E-MAILS DOS MINISTROS DO …
%d blogueiros gostam disto: