ARENA: FUTURO ELITISTA E IMPESSOAL

Um comentário sobre “ARENA: FUTURO ELITISTA E IMPESSOAL”

  1. CLÁUDIO: o contexto é totalmente diferente. O GRÊMIO do OLÍMPICO e do OLÍMPICO MONUMENTAL era um GRÊMIO sem dívidas vultosas e sempre foi dono do seu próprio nariz.

    Pode e deve investir em um novo estádio. Todavia, seria mesmo este o melhor momento? O custo disso é a troca de um terreno hipervalorizado em um lugar convergente para um canto barato da cidade, à margem de um rio fétido, assassinado pela depredação do meio ambiente, em um terreno de charco.

    O que preocupa é o modelo de negócio: o tradicional adversário irá reformar seu estádio (é possível, pois se trata de um projeto muito mais moderno e bem pensado do que o OLÍMPICO, de fraca estrutura e de arquitetura pouco funcional) COM INVESTIMENTO QUE NÃO EXIGIRÁ QUE SE DESFAÇA DE SEU MAIOR PATRIMÔNIO.

    Será que a marca GRÊMIO é tão valorizada assim? Vejamos: o vice-presidente de marketing é um delegado. Nada contra os delegados mas, convenhamos: não puseram um não-especialista no cargo justamente porque o investimento para a área é quase inexistente?!

    Enfim… Há uma série de questões que precisam ser melhor investigadas.

    Torço para que tudo dê certo. Existe risco e coragem. Mas não é tão difícil assim dar errado.

    []’s,
    Hélio

  2. O Futebol de alto nível é um esporte caro, mas atrai um imenso número de aficcionados de todas as classe sociais. Mas, nesse esporte, não existe essa dicotomia entre futebol popular ou futebol de excelência, pois ninguém torce para clube perdedor. Existe a diferenciação entre Clube formadores de jogadores e Clubes e Clubes conquistadores de torcida e títulos. Chegou a hora de optar qual caminho os times do RS irão optar.

    O engrandecimento da dupla Grenal está ligado quase que diretamente a melhoria que cada clube fez em seu casa rumo a uma conquista maior, como uma mudança de categoria, de nível, de status. Claro que existem outros motivos, mas a coincidência entre a troca ou ampliação do estádio de cada um e a conquista de novos títulos é impressionante O Internacional, nosso time coirmão, a partir da construção do Estádio dos Eucaliptos passou a dominar o futebol gaúcho na década de 40. O Grêmio, somente com a mudança para Azenha, em 1954, chegou à hegemonia gaúcha que durou até o final da década de 60. Daí os colorados inauguraram o Beira-rio em 1969, retomando o domínio regional e chegando ao tricampeonato brasileiro nos anos 70. Já o tricolor, completou o Olímpico, em 1980, e a partir disso foi campeão da Libertadores e do mundo. Façanhas só igualadas pelo Inter em 2006, depois de reformas em seu estádio para se enquadrar as normas da FIFA.

    Por outro lado, hoje em dia somos, e cada vez mais seremos, invadidos pela moda do futebol europeu. Eles já levam nossos craques e, com passar do tempo, levarão também nossos torcedores, pois está cada vez mais comum ver jovens brasileiros tendo um time preferido no Brasil e outro na Inglaterra, Itália, Espanha, Alemanha…No futuro, creio que aqui a maioria torcerá pelos de times de lá, restando para os clubes do Brasil serem apenas SUBSEDES de Real Madrid, Manchester, Milan, Barcelona, etc…Outra opção será formar Clubes estruturados, de tal forma, que consigam disputar espaço de igual para igual com eles. Inclusive, já se fala em uma nova copa, agora global, entre os maiores clubes do mundo de todos os continentes: uma grande e verdadeira Copa do Mundo de Clubes, aos moldes da liga dos campeões da UEFA ou da Copa do Mundo. Quem do Brasil poderá participar?

    Está na hora do Grêmio dar um salto de qualidade: mudar de nível, para enfrentar a disputa global pelo mercado do futebol (TV, material esportivo, publicidade, turismo…). Nosso time tem tradição, camiseta, carisma e a oportunidade de ser um dos poucos times da América do Sul a conseguir dar esse passo. Para isso, não deve perder as oportunidades que se apresentam, ficando preso ao passado. O passado é importante e deve ser reverenciado, servindo de base sólida e exemplo para novas conquistas e não como entrave a modernidade. Quem para no tempo morre e é esquecido. Na mesma época que o nosso time foi formado, criaram-se outros clubes em Porto Alegre que sumiram com o passar dos anos, pois perderam o bonde da história: não souberam fazer as mudanças necessárias e adequadas na época correta.

    O Brasil está crescendo economicamente e todos acreditam que continuará crescendo, possibilitando que o dinheiro aplicado em lazer (futebol, no caso) por todas as classes sociais brasileiras aumente paralelamente ao aumento da renda. Alguns times brasileiros já estão se preparando para ganhar espaço com isso e devemos estar junto deles. A partir desse aumento de receitas dos esportes e embasados na fama que futebol brasileiro conquistou no mundo, esses clubes poderão disputar o mercado global da bola e vencer novos títulos de campeonatos e copas.

    A torcida do Grêmio, hoje, não conseguiria sozinha construir uma Arena moderna e multiuso; que possibilitasse acesso facilitado para torcedores, turistas e consumidores e que trouxesse retornos econômicos o ano inteiro, mesmo fora dos dias de jogos. Por outro lado, algumas empresas querem se associar ao nome do Grêmio para construir esse empreendimento e assim conquistar um espaço maior nesse mercado em expansão, num acordo onde ambos sairão beneficiados. Eles querem lucros e nos gremistas títulos e reconhecimento mundo a fora. Acredito que temos pessoas, dentro da Diretoria e do Conselho, preparadas para tirar o melhor proveito e fazer o melhor contrato possível nesse empreendimento.

    Se o projeto Arena não der certo, assim com não tivemos sorte com a parceria com a ISL, nosso time estará fadado a perder espaço. Vai haver uma última chance ainda, no último passo do futebol brasileiro que será colocações de ações a venda em Bolsa, mas isso ninguém quer. Ninguém deseja que o Grêmio tenha um dono, proprietário da maioria das ações, pois queremos ele sempre seja da torcida tricolor. Para continuarmos dono de nosso time e não de grupos econômicos estrangeiros ou nacionais, precisamos aumentar as receitas e a participação dos torcedores no financiamento do Clube. Para isso, é correto a construção de uma Arena nova, financiada pelo próprio aumento dos lucros e que nos dará status e visibilidade e trará torcedores para participar. Não sou ligado a nenhuma corrente, movimento, via, chapa ou ala do Grêmio, muito menos de partido político de qualquer espécie. Sou apenas um gremista e sócio; e, como eu, existem milhões dispostos a contribuir, só esperando uma oportunidade.

    Aprendemos, espero eu, com o passado e agora devemos estabelecer todas as garantias e salvaguardas jurídicas no contrato para que não tenhamos prejuízos num eventual insucesso do empreendimento. Mas, não podemos ter medo do fracasso, pois quem tem medo do fracasso já é um perdedor. Aprendemos com o Grêmio que devemos acreditar sempre, que tudo é possível quando se acredita num objetivo, existe tempo e homens de coragem. Temos tempo e objetivos, mas ainda existe coragem?

  3. Hélio, a preocupação do Guga e do André Krause são respeitáveis e concordo com as colocações deles, mas o pessoal do GRÊMIO ACIMA DE TUDO são mentirosos. A única preocupação deles é de não perder o poder no Grêmio, tanto é que desde que foram derrotados nas eleições do conselho, se reunem para secar o Grêmio, essa informação partiu de um ex integrante deste movimento, e eu não duvidei, pois certa vez fiz um comentário respeituoso mas discordante dos ataques pessoais que proferem, e recebi a seguinte mensagem não assinada por ninguém especificamente no meu email, “VAI SE CATAR MULHERZINHA DO LADRONE, TE JUNTA COM A SAFADO DO PELAIPE E ASSALTA UM BANCO QUE TU GANHA MAIS, E OUTRA, NÃO VAMOS PUBLICAR NENHUM COMENTÁRIO TEU, POIS SÓ PUBLICAMOS O QUE NOS INTERESSA, NO NOSSO BLOG, MANDA QUEM PODE.

    GRÊMIO ACIMA DE TUDO!

    É essa gente que diz que pensa no Grêmio acima de tudo, gente com OLy Fachin que sempre quis mandar no Grêmio, gente que sempre foi contra as eleições pelos sócios, gente que só está indignado porque perderam espaço no Grêmio e usam o Hélio Dourado como escudo. Depois que recebi tal email, tenho asco destas pessoas! O blog deles devia se chamar.. “PODER NO GRÊMIO ACIMA DE TUDO” Abraços

  4. Hélio

    Ótimas as idéias que tu estas colocando no debate.O projeto arena ,tal como está concebido,é inviável num futuro não muito distante.A racionalização do uso dos bens não renováveis já está se impondo.
    Não vai adiantar fazer uma obra esperando que os ricos compareçam e ocupem os estacionamentos.A era do petróleo está no fim,assim como tudo o que demandar um grande consumo de energia.
    Todo mundo vai ter que começar a fazer escolhas:ou come ou anda de carro,e não vai adiantar ter dinheiro para comprar o que não vai existir,pelo menos com as tecnologias conhecidas.Prever jogos às 21h30 daqui dez anos?Nem pensar.O mesmo vale para megashows ou outros eventos.Só locais de fácil acesso terão preferências para estas promoções.O mundo tal qual como nós conhecemos,já entrou em processos de mudanças,só não avisaram o Odone.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s