SIMON DESCONSTRUÍDO

Excelente movimento dos blogs Diário Gauche (com artigos sociológicos do Cristóvão Feil), RS Urgente (com a crítica da postura do senador a partir de um conjunto de notícias recentes envolvendo seus aliados no Governo do Estado) e Dialógico (com a charge do Eugênio Neves).

Desde a 6ª série, minha maravilhosa professora de História que acompanhou-me durante pelo menos 50% do 1º grau, Elaine Stringhini (caso sejas leitora deste blog ou caso algum conhecido teu seja, mando um beijão pra ti, querida mestra!), na Escola Estadual de 1º Grau General Daltro Filho, na Avenida América, bairro Auxiliadora, já dizia: “O MDB não era bem oposição: eram políticos que possuíam uma liberdade vigiada pelo regime”.

Meu falecido pai foi contemporâneo de Rosário do senador Pedro Simon. Não convivia muito com ele, pois o senador tinha uma condição de vida superior (não sei se era rico, mas creio até que não), veio da Serra e era de outra turma e de outra série (se não me engano, um ano mais novo do que o Pai).

O Pai gostava dele como político. O Pai era filiado ao MDB/PMDB, porém quase nunca estava por dentro do que se passava no seio do partido, pois não participava das reuniões e não fazia campanha pra ninguém. Nos últimos anos de vida, o Pai ia para Brasília eventualmente, a fim de conversar com a bancada gaúcha na Câmara e no Senado para reivindicar os atrasados dos aposentados e pensionistas da associação a qual presidiu até a morte. Tinham conversas curtas, porém animadas.

A única coisa que posso dizer é que o Rosário e aas finidades em função da idade estabeleceram um certo laço entre eles. Mas jamais um laço próximo o suficiente para fazer com que um conhecesse o outro de verdade ou para que um visitasse o outro.

No meu caso, desde meus 12 anos, algo dizia que o Simon não era corrupto, não era ladrão, não era lobista, mas não se alinhava com o que eu estava aprendendo sobre política. Com o tempo, a minha visão de mundo não mudou: apenas consolidou-se, à medida que eu ia descobrindo a diferença entre ser quem eu era e ser quem eram meus colegas de escola no 2º grau (IPA, particular) e tudo o que eu estava assimilando de Ciências Humanas na faculdade (Comunicação na UFRGS).

Eu sou completamente desgarrado da família políticamente falando. Socialmente também, em grande parte. Todos são honestos e trabalhadores. Ninguém, em lugar algum deste planeta, pode dizer um “ai” sequer de qualquer um deles (Pai, Mãe, irmãos, sobrinhos, cunhada). Porém, acreditam em tudo o que sai na mídia corporativa. E, assim como grande parte da classe média, se satisfazem com a pasteurização.

Essa pasteurização faz com que o senador Pedro Simon, principal responsável pelo maior arrocho salarial da história do funcionalismo gaúcho (eu estava na 8ª série naquela greve gigantesca de 1987), sempre seja visto como íntegro, combativo, destemido e como um ícone de ética na política gaúcha.

Mas é bem como o Cristóvão postou:

“É o inventor de Antonio Britto, Germano Rigotto, Yeda Crusius e José Fogaça. Todas criaturas apontadas pelo dedo podre do pai criador PJS.”

“POBRE RIO GRANDE: CONHECENDO OS TEUS LÍDERES, PODEMOS AVALIAR O TAMANHO DA TUA RUÍNA!”

…E o Pai infelizmente já não está mais aqui para saber o quanto foi enganado… :(

Blogged with Flock

Tags: , , , , , ,

Anúncios
Sobre

Prof. M.S. @heliopaz | @unisinos | @comdig | @agexcom | @jetunisinos | @cultdigitalunis | @gremiosempre | http://bitly.com/tNhPU3

Publicado em Sem categoria
5 comentários em “SIMON DESCONSTRUÍDO
  1. sueli halfen disse:

    Tb acho Miguel…concordo contigo
    abraço…

  2. miguel grazziotin disse:

    Simon não é honesto!!!!
    Honestidade é um complexo que COMEÇA com honestidade consigo mesmo..Simon traiu Brizola, Simon cala quando o escandalo segue os seus…
    Simon só chuta cachorro morto, porque tem medo de represalias..
    Me digam nestes infinitos anos de senador Qual projeto de relevancia ele nos brindou?
    Honestidade nao é só nao roubar coisa materiais, é ser honesto nas ações, na vida em sociedade, e isto meus amigos, sempre faltou a ele…

  3. Eu diria que escreveste um texto proustiano, Hélio. Parabéns. Não fora as referências muito diretas a mim, eu ousaria dizer que está um texto supimpa (essa é do tempo do teu amado Pai).

    Não basta ser honesto, como de fato Simon o é. Esse aspecto da vida pessoal é uma obrigação ético-moral e cidadã, jamais deve contar como virtude pública. Simon se acanalha ao fazer da necessidade, virtude – como dizia a grande Rosa de Luxembourg.

    Consegue ser apenas um político anão, um anão honesto!

  4. claudia cardoso disse:

    Muito legal teu depoimento. Eu me identifico contigo nas relações familiares: fui coordenadora do Comitê RS do FNDC, faço parte da Coordenação Executiva da Campanha quem financia a baixaria é contra a cidadania, e ainda pegam no meu pé, porque eu “brigo” com a mídia, como se fosse coisa do outro mundo!!!

  5. sueli halfen disse:

    É isso aí mesmo ! só que não se pode mentir o tempo todo !

    e eu votei nele há décadas atrás…era muito infantióide…MAS AGORA EU SEI !

    graças à blogosfera …

    abraço em tu ZeAlfredo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

page views
  • 309,127 (d. 12/05/2006)
Free hit counter estatísticas heliopaz.wordpress
comentários
Suzimary em PIRÂMIDE DO CAPITALISMO (…
Ivo Antônio Barra em E-MAILS DOS MINISTROS DO …
maison pereira lima em E-MAILS DOS MINISTROS DO …
Francisco Reginaldo… em E-MAILS DOS MINISTROS DO …
Francisco Reginaldo… em E-MAILS DOS MINISTROS DO …
%d blogueiros gostam disto: